Uma peça por vez… e os problemas também…

Atualizado: Mar 5

Era uma vez alguém em um país latino americano que tinha uma moto fora da linha de montagem, e na falta de peças começou a adaptar, ou a fazer as próprias peças…




Esse post, é daqueles que cheira óleo queimado e borra de motor, velas, mãos sujas, carburadores para se equalizar, amizade de longa data com mecânico e troca de informações em fóruns de internet.



Então eu não tenho os mapas e nem as motos das desventuras do Thiago Moreno, mas vai render algumas boas linhas aqui, por falar em linhas e mapas, deixando aqui que to aceitando o desafio de vlogs do Thiago, aguardando resposta do Hugo e do Guigo.





Chega de encher linguiça, então vamos lá, se você tem uma moto acima de 5, 10 ou 15 anos, em pleno funcionamento e um pouquinho de juízo, em algum momento você deve se ter perguntando até quando vai ter peças? Bem, enquanto tiver moto em trânsito, é provável que alguém vá fazer algumas peças, outros vão achar alguma forma de adotar algo, com padrões quase assimétricos, e continuar a rodar na moto.



Isso me faz recordar, de um dia qualquer que senti um leve dançado, fazendo uma curva, e fui checar os rolamentos da Savage, que estavam nas últimas, isso já tem uns 3 anos ou mais, mas qual foi a solução, consultei os grupos e troquei algumas ideias, uma solução possível, era comprar similares, ou adaptar de outras motos, fóruns de internet, tem sempre alguém que fez algo, mas, ao mesmo tempo, quando vamos replicar por algum motivo, não se aplica…

Rolamento do eixo do quadro...


Não se aplica, por que nosso país é enorme, e motos, estão presentes em basicamente todos os municípios, distritos, mucambos, malocas e alagados… Então, comungando com aqueles, que sim, eu prefiro uma moto, que eu posso fazer a maioria das coisas em casa, ou que ainda tenha disposição de um mecânico na cidade, que, pelo menos, possa orientar o que se pode ou não fazer, nada como a experiência do saber fazer…pois isso não se compra…



Então depois de muito pesquisar, e horas de conversação com o mecânico, decidimos que o melhor seria retirar o eixo do quadro elástico, fazer as medições e mandar confeccionar duas buchas de bronze, tudo na medida, funcionando como deveria, e isso já tem 3 anos… Então por que isso não se aplica, por que já conversei com pessoas, de cidades, que não tem uma tornearia, ou mecânico, ou ainda não tem os dois, isso ai vai dificultando as coisas, isso renderia linhas e linhas de discussão… Não adianta apenas ter a moto e a grana pra fazer,se ninguém o faz...





Se um conselho também é valido, é bom ter um mini estoque de peças em casa, principalmente se você tem uma moto mais incomum e mora no interior, vale vasculhar casa de motopeças, e alguns sites, mercado livre também costuma ser uma boa pedida. Às vezes se costuma dar sorte nesses garimpos.

Aquelas coisas simples, como limpar um carburador, trocar uma bateria, fazer pequenos reparos, nem sempre, são tão simples, se não tiver ferramentas, força de vontade e um mínimo de conhecimento básico (busquem conhecimento sobre a moto de vocês). Esses dias vi em um meme que dizia o seguinte “ antigamente os carros, no manual ensinavam a regular as válvulas, hoje, eles dizem para não beber o fluido refrigerante” de alguma forma não estaríamos emburrecendo? Fica pra um próximo texto isso…

Japão e seus mistérios


Assim, minha Savage, fiel estradeira com seus 30 anos de projeto, e seus 20 de pleno funcionamento, segue… E vocês, como costumam resolver os problemas das suas bebedoras de Mobil ??? Deixa ai nos cometários. E me segue no instagram =D @saulomazagao