CB 1000R: Um retorno ao futuro.

“Há algo sobre uma streetbike sem carenagem com motor quatro em linha. O motor e o chassi expostos para todo o mundo ver - sem precisar dar desculpas desnecessárias. Tudo nela tem um propósito, e você nunca se cansa de olhar. Além disso, é leve, poderosa e responsiva. E a nossa nova CB1000R é a melhor streetfighter naked de classe aberta (ou seja, que não é de competição) que já produzimos. É como uma dose tripla de café espresso para sua alma motociclista. Você tem um motor de quatro cilindros com 998 cc de alta rotação que é especialmente ajustado para oferecer potência em média e alta rotação. Um estilo inovador Neo Sports Cafe, chassi atualizado, pacote eletrônico aprimorado e posição de pilotagem relaxada e mais aberta.Às vezes, menos realmente é mais.”

Legal esse texto. É com ele que a Honda apresenta a CB 1000R no seu site em inglês. Eu gostei especialmente da parte do espresso. No site do Brasil ainda não há nada sobre ela, pelo menos não até o momento em que esse texto estava sendo publicado. Mas provavelmente o site brasileiro vai ser atualizado em breve porque a máquina deve chegar aqui no primeiro trimestre do próximo ano.



A nova CB 1000R é simplesmente um deleite para quem é entusiasta de motos com motor 4 cilindros com roupagem clássica. Tudo bem, ela pode ser um pouco mais futurista do que o normal e talvez por isso não agrade tanto os saudosistas quanto a Kawasaki Z 900RS ou Triumph Bonneville. Mas talvez esse seja seu papel no mercado - e talvez essa seja a razão da palavra Neo no conceito Neo Sports Cafe.

Ela vem equipada com motor de 4 cilindros com 998 cm³ com 145 cv e 10.2 kgf.m de torque. Conta com o Honda Selectable Torque Control, que nada mais é do que um nome muito bonito para seu controle de tração e graças ao seu acelerador eletrônico, possui quatro modos de pilotagem: Standard, Sport, Rain and User. Este último feito para receber modificações feitas pelo próprio usuário. Seu sistema de transmissão final é por corrente e segundo a Honda, com uma relação mais curta nas três primeiras marchas a CB 1000R chega mais rápido aos 130 km/h que a própria CBR 1000RR Fireblade.



A suspensão dianteira é Showa invertida de 43 mm e a traseira, Showa single-shock com ajuste de pré carga e retorno da mola. No freio dianteiro temos dois discos flutuantes com quatro pistões cada. Atrás, disco de 256 mm. O ABS é nas duas rodas. Em termos de pneus, 120/70 no aro 17 dianteiro e um robusto 190/55 na traseira, também 17.

Essa moto fez sua primeira aparição no Salão de Milão, o EICMA, na Itália, ano passado e já é um sucesso na Europa e no Japão e grande parte deste sucesso deve vir do seu estilo incrível. Depois de vermos os números do motor fica mais fácil entender o porque de todo esse sucesso. Ela consegue trazer uma cara nova para a Streetfighter de 1000cc da Honda e ainda superar os números que o modelo anterior oferecia.



Seu tanque tem a capacidade de 16 litros e de acordo com o próprio site da Honda a eficiência de combustível depende muito mais do próprio condutor do que da máquina:

“As estimativas da economia de combustível da Honda baseiam-se nos procedimentos de teste de medição de emissões de escape da EPA e destinam-se apenas a fins de comparação. Sua quilometragem real irá variar dependendo de como você pilota, como você mantém seu veículo, clima, condições da estrada, pressão dos pneus, instalação de acessórios, carga, peso do passageiro e do passageiro, e outros fatores.”

Essa é uma das informações mais sensatas que já vi em um site de moto. Mas sem dúvida não é nada precisa. Podemos, por enquanto, apenas estipular que pelo fato de possuir acelerador eletrônico, essa quatro cilindros de 1000cc deve consumir menos gasolina que uma moto com a mesma configuração de motor que não tem esse tipo de acelerador.

E a posição de pilotagem, é confortável? A Honda considera que a CB1000R apresenta um posicionamento triagular, e ao abrir esse “triângulo” na CB1000R, você se senta um pouco mais reto, o que lhe dá um ponto de vista mais alto. Além disso, a montadora também considera que a maioria dos pilotos vai achar essa posição mais confortável do que a anterior. Preço? Ainda não foi divulgado.



Para os entusiastas de motos clássicas, ver esta moto ser lançada no Brasil, reforça a impressão de que cada vez mais, as montadoras estão vendo a importância de desenhar motos que lembram épocas mais simples, épocas em que surgiram aquelas que para muitos motociclistas são algumas das melhores motocicletas da história. E a importância disso é que cada vez mais, essas montadoras percebem que existe sim um público grande para isso. Um público que é formado por motociclistas novos, como grande parte do público do Canal Motorama, e formado também por muitos motociclistas de uma idade mais avançada, que viveram a época em que as motos clássicas de hoje ainda estavam no mercado, disponíveis em concessionária.

O fato da Honda ter feito isso com sua CB 1000R é ainda mais representativo porque alterou drasticamente o visual de sua naked de 1000 cc, uma moto que sempre foi responsável por trazer um visual inovador e futurista. Ela continua tendo design inovador, só que agora utilizando grandes elementos do passado.

Estamos vivendo uma boa época de grandes motocicletas!


Valeu pessoal. Até o próximo artigo aqui no Portal Motorama!

2 comentários

© 2020 - Motorama S. P. LTDA.

CNPJ 36.892.387/0001-85

-----

canalmotorama@gmail.com

-----

Envio dos produtos da loja de 7 a 20 dias a depender do produto.

  • Youtube
  • Facebook
  • Instagram