04. A imensidão azul em El Calafate

Depois de alcançar nosso destino principal e passar a noite no Ushuaia, no dia seguinte já estávamos de volta a Rio Gallegos, hospedados no mesmo hotel que tínhamos deixado na manhã do dia anterior.


O plano principal da viagem era chegar ao Ushuaia, mas eu não tinha um grande interesse na cidade em si. O foco era ir até lá e voltar, curtindo o caminho. Sendo assim, tínhamos partido de Rio Gallegos no dia anterior, chegado em Ushuaia, dormido e voltado para Rio Gallegos, já iniciando a viagem de volta.


Para os próximos dois dias, havia planejado os primeiros períodos mais tranquilos, como turistas. Um dia de apenas 305 quilômetros de estrada, de Rio Gallegos a El Calafate e em seguida teríamos nosso primeiro dia de descanso, curtindo um dia inteiro sem estrada. A ideia principal era visitarmos o Glacial Perito Moreno e curtir um pouco a cidade.


Mas a baixa quilometragem e o dia de folga tinham um outro motivo: fazer a troca de óleo das motos, que completaram 5000 quilômetros rodados quando voltamos para Rio Gallegos.

Durante o meu planejamento, pesquisei oficinas na região e, como o destino é muito visitado por motoqueiros em viagens pela Patagonia, encontrei alguns relatos e algumas postagens mencionando uma pequena oficina em El Calafate. Tinha o endereço dela salvo no meu GPS, mas se conseguíssemos fazer a manutenção em Rio Gallegos, poderíamos curtir El Calafate sem nenhuma preocupação e aproveitar muito mais nosso dia livre.


Por isso, na manhã que partiríamos para El Calafate, como não precisávamos acordar tão cedo, deixei o Nicholas dormindo e fui tentar encontrar uma oficina.


Não encontrei nada por perto, além de uma concessionária Renault, onde uma moça simpática se dispôs a ligar para algumas pessoas e descobriu o endereço de onde poderiam fazer o serviço. Era uma oficina na saída da cidade.


Na volta para o hotel, combinei com o Nicholas de tomarmos café e já partirmos com toda a bagagem, para passar no local e fazer a troca de óleo.


As informações que a moça passou estavam corretas, mas descobrimos que era uma loja de peças para moto e não uma oficina. Aparentemente faziam alguns serviços de instalação das peças que vendiam, incluíndo troca de óleo, mas, naquele dia e horário, o funcionário responsável pelos serviços não estava e não sabiam informar quando ele retornaria.


Sem saber se valeria à pena esperar, decidimos partir para El Calafate, chegar cedo e fazer a troca lá, como estava planejado inicialmente.